Faça 7 Coisas Antes de Sair do Emprego Para Freelar

7 Passos Para Sair do Emprego e Começar a Trabalhar como Freelancer

Nós conhecemos bem os prazeres e a satisfação da vida de um freelancer e pequeno empreendedor. É saber o bem que isso pode fazer às pessoas que guia nosso trabalho, na verdade.

Acreditamos que nos próximos anos as pessoas irão priorizar cada vez mais uma vida mais equilibrada e a possibilidade de definir seus próprios limites profissionais. É por isso que buscamos sempre apoiar freelancers e empreendedores em cada momento de sua jornada.

E também conhecemos as responsabilidades. Sabemos que não é uma mudança fácil. Para todos aqui que estão planejando mergulhar de cara na vida freelancer e se tornarem empreendedores, sugerimos que risquem estes itens de sua lista antes de começarem sua jornada.

Aqui estão, em ordem, os passos que você deve seguir para começar com o pé direito seu novo negócio:

1. Defina o que você pode oferecer

Você já parou para pensar nisso?

Quando estamos habituados a exercer uma função, é raro pararmos para considerar o que podemos oferecer profissionalmente. Mas a verdade é que, quase sempre, somos capazes de oferecer muito mais do que fazemos no dia a dia.

Talvez você use apenas uma parcela muito pequena de suas habilidades em seu emprego. Para sua empresa, isso é o suficiente para que você traga lucro a eles. Mas agora é o momento de encontrar e utilizar seu potencial completo.

Na verdade, essa é uma das principais causas de insatisfação nas empresas. Muitas pessoas sentem que estão subutilizando seu potencial, que são capazes de oferecer muito mais. Se tornam boas em algo muito rápido e os desafios param. Sem desafios, ficamos desmotivados.

Então, comece a imaginar até onde você poderia ir. Que atividades poderia exercer? Quais gostaria de aprender? Por onde você poderia começar?

Mesmo que sinta que não tem confiança para trabalhar profissionalmente em uma área ou especialidade diferente da que atua, sabendo que você tem capacidade para se tornar muito bom naquilo não há razão para ter medo.

Comece pequeno, em projetos mais simples, se for necessário. Existem clientes que querem especialistas, outros aceitarão um profissional iniciante que esteja bem disposto com prazer.

Com o tempo, sua confiança o permitirá buscar novos limites.

Leia mais: 7 coisas que eu diria para todo freelancer

O que você amaria fazer?

Muitas pessoas acabam sendo empurradas para uma área devido às oportunidades que foram encontrando. Infelizmente, isso nem sempre representa o que realmente gostam de fazer.

Aproveite para pensar também no que você se sentiria muito bem fazendo. E seja tolerante o bastante consigo mesmo para incluir em sua lista coisas que não têm nada a ver com o que faz hoje, se elas atraírem você de verdade.

A maior graça de ser um empreendedor é poder definir o próprio caminho.

Você é um designer mas gostaria de trabalhar com marketing? Nada de errado nisso. Aliás, sua experiência o ajudará muito.

Um analista de sistemas que gosta de cozinhar? Relaxa, muita gente já fez essa mudança e teve sucesso.

Permita-se sonhar um pouco nesse exercício. E seja específico. Por exemplo, não defina apenas que quer trabalhar com fotografia. Defina que quer trabalhar com fotografia esportiva, se é o que realmente gosta.

Isso vai ajudar você a enxergar oportunidades. Afinal, não adianta chegar só perto de realizar seu sonho.

11 conselhos de Warren Buffett sobre sucesso e felicidade

Pondo em prática

Faça uma lista coisas que você faz hoje e das coisas que saberia fazer sem dificuldade.

Faça outra lista, agora com as coisas que são fáceis para você, seus talentos natos, mesmo que em nada tenham a ver com sua atividade principal.

Escreva, então, a lista de coisas que você amaria fazer, sendo o mais específico possível.

Agora, defina as coisas que você não quer fazer de jeito nenhum. Cuidado com essas.

Junte todas as listas e encontre onde as linhas se encontram. Isso vai mostrar para você o que você gostaria e seria capaz de fazer ou aprender.

Esse é o ponto inicial de seu novo negócio.

2. Pinte seus clientes

Você já deve ter uma ideia de quem estaria disposto a pagar por esses serviços (a não ser que você esteja sendo muito criativo mesmo). Se não tiver, talvez seja necessário pesquisar um pouco mais sobre esse novo mercado.

Acontece que, na maioria das atividades, a gama possível de clientes é muito grande. Quantos clientes pagam por websites? Quantos procuram arquitetos? Chefs de cozinha?

Existem clientes e trabalhos de diversos portes. Pense, por um momento: com quais clientes gostaria de trabalhar?

Seriam grandes empresas, com reuniões em ambientes corporativos e acordos fechados em restaurantes sofisticados?

Ou seria o pequeno empreendedor, que está começando seu negócio e precisa de alguém de confiança para ajudar ele?

Ele está em sua cidade ou você teria prazer em viajar, passar alguns dias por mês conhecendo lugares novos para fechar negócios?

Cada tipo de cliente também vem com um tipo de orçamento e um tipo de esforço diferente. Aproveite para pensar no estilo de vida que pretende ter em seu novo negócio.

Pondo em prática

Pesquise o mercado e os potenciais clientes que encontrou para as atividades que definiu no item anterior.

Agora, desenhe as personas desses seus clientes. Qual é a idade deles? Onde estão? Quanto pagam? O que querem?

Com isso em mãos, você saberá exatamente onde os procurar, o que deve aceitar e o que não será vantajoso para você.

3. Familiarize-se com os preços

Entenda como funcionam os preços em sua área de atuação como freelancer

Muitas vezes o tamanho dos negócios que são fechados pelas empresas não fica claro para quem trabalha dentro delas.

Não há nada de errado nisso, na verdade. Muitas pessoas nem se interessam por esse tipo de coisa. Mas isso faz com que muitas pessoas não saibam exatamente os valores de mercado do que fazem.

Por isso, é importante se familiarizar com o que costuma se pagar pelos serviços que você quer oferecer. Para cada tipo de serviço e de cliente, os preços ainda podem variar bastante, então é bom fazer uma pesquisa de mercado.

Pondo em prática

Se possível, pergunte a pessoas que conheça que já contrataram esse tipo de serviço as faixas de preço praticadas. Se possuir colegas que empreendem na área, eles podem ser uma ótima fonte de referência.

Lembre-se também que freelancers e empresas se posicionam de formas diferentes e, assim, conseguem clientes diferentes.

Posicionar seu serviço como o melhor do melhor pode render clientes grandes, mas exige que você realmente seja tão bom quanto diz. Começar pequeno, com preços acessíveis, pode não ser muito glamoroso mas com certeza traz experiência.

Tenha em mente o quanto você poderá cobrar para suas atividades, isso será útil no próximo passo.

4. Desenhe seu plano financeiro

Sua fonte de renda vai mudar e é necessário garantir que você terá a estabilidade e disciplina necessárias para guiar você por esse momento inicial de incertezas.

Deixar de receber um salário é a mudança mais assustadora. Se você planejar essa etapa bem, não deixará que os primeiros sustos tirem sua força de vontade.

Pondo em prática

Comece detalhando seus gastos mensais para ter uma ideia de quanto precisa ter por mês e quanto será necessário para o seu primeiro ano de atividades.

Seja realista em relação aos seus limites, ao que pode e está disposto a cortar e ao que tem guardado para esse investimento. Sacrifícios podem ser necessários, mas trabalhe com dedicação e esse investimento tende a retornar financeiramente e na forma de uma vida mais equilibrada.

Agora, já sabendo os preços praticados nas atividades que deseja exercer para os clientes que gostaria de ter, calcule quanto precisa trabalhar para pagar esses custos e lucrar. Defina quantos projetos precisa fechar por mês para guiar sua atividade inicialmente.

Se você estiver em dúvida, um ótimo ponto de partida é cobrar com base em seus custos. Caso não saiba quanto cobrar por sua hora, você pode utilizar o o criador de propostas online do Proposeful, que calcula o preço ideal do projeto automaticamente para você.

5. Aprenda a montar propostas, faturas e contratos

Estes são os três documentos sagrados de um freelancer. As propostas abrem portas, as faturas pagam contas e os contratos evitam problemas.

Deixar tudo isso pronto antes de começar vai ajudar você a ganhar tempo quando encontrar seus primeiros clientes. A verdade é que, quanto mais rápido você puder enviar uma proposta, mais chance tem de fechar o negócio.

Ter um contrato e uma forma de cobrança estruturada também o ajudarão a mostrar para seus futuros clientes que você sabe o que está fazendo. Essa confiança com certeza contará a seu favor.

Pondo em prática

Para criar uma proposta estruturada e clara para seu próximo projeto sem perder tempo, use o gerador de propostas do Proposeful. Você também pode ler nosso guia definitivo para proposta de prestação de serviços.

Finalmente, para preparar seu contrato para ficar blindado contra clientes mal intencionados, disponibilizamos aqui um modelo de contrato de prestação de serviços, com todas as cláusulas explicadas por um profissional.

6. Monte seu escritório

Organize um espaço adequado em sua casa para trabalhar com foco

Trabalhar em casa pode ser uma distração muito grande, por isso é bom arrumar um espaço propício antes de começar.

Organize seu home-office de uma forma que mantenha as distrações longe. Televisão, geladeira, cama e videogame devem ficar bem afastados de onde você vai criar seu novo negócio.

Outra opção é procurar um escritório compartilhado, os coworkings. No Brasil já existem centenas desses espaços, que recebem freelancers e empresas de portas abertas. Além de se concentrar no trabalho, lá você ainda pode conhecer pessoas novas e potenciais clientes.

Pondo em prática

Se você gosta de decoração, existem diversos guias na internet sobre como reaproveitar espaços em casa para criar um escritório confortável e produtivo. Se não, levar o notebook para a garagem pode ser o suficiente para tirar você das distrações.

Para quebrar a rotina, você pode optar por trabalhar em um café de vez em quando. Esses lugares normalmente oferecem wifi, um ambiente agradável e – o melhor de tudo – café.

Se quiser procurar um escritório compartilhado, as opções são muitas e normalmente você paga por um pacote de horas que usa quando quiser. Acaba não saindo muito caro, mas o preço varia bastante de cidade para cidade.

7. Avise seu chefe

“O que começa errado não termina certo.”

Então, como bom profissional, notifique seu chefe dos seus planos. Diga quando vai começar e até quando pode ficar com ele. Mostre seu apoio para encontrar um substituto e alinhar o trabalho para que não sobrem pendências.

Pondo em prática

Faça isso pessoalmente. Seu chefe, se for um líder de verdade, vai te apoiar ao ver você buscando seguir seus sonhos e se desenvolver como profissional. Negocie com ele seu aviso prévio e procure deixar tudo em ordem antes de partir.

Avise seus colegas, familiares e amigos, também. O apoio dessas pessoas pode ser muito bem vindo e, quem sabe, eles possam apresentar a você oportunidades para seus futuros negócios.

Nos conte sobre a transição

Está no caminho para se tornar um freelancer full-time ou iniciou esse novo estágio recentemente? Queremos saber como tem sido sua experiência e quais dificuldades tem encontrado. Deixe um comentário abaixo :)

Quem Escreve

Thiago é CEO do Proposeful e escreve sobre seus temas favoritos: marketing, vendas, e empreendedorismo.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments